A Terceira Idade

As instituições que vimos anteriormente prestam vários serviços. Os idosos tanto recebem acompanhamento dentro como fora das instituições, especialmente aqueles que sofrem de falta de autonomia, mobilidade ou não têm condições económicas para pagar um serviço completo.

Acolhimento Familiar para pessoas idosas:
É uma resposta social que consiste em integrar, temporária ou permanentemente, em famílias consideradas competentes, pessoas idosas quando, por ausência ou falta de condições familiares e/ou inexistência ou insuficiência de respostas sociais, não possam permanecer o seu domicílio.
Tem como objectivos, acolher pessoas idosas (no máximo três), que se encontrem em situação de dependência ou perda de autonomia, vivam isoladas e sem apoio da natureza sócio-familiar e/ou em situação de insegurança, garantir à pessoa acolhida um ambiente sócio-familiar e afectiva propício à satisfação das suas necessidades e ao respeito pela sua identidade, personalidade e privacidade, e evitar ou retardar o recurso á institucionalização.
É destinado a pessoas com 65 anos ou mais.

Residência:
Resposta social, que consiste na existência de conjunto de apartamentos e/ou serviços de utilização comum, com autonomia total ou parcial.
Tem como objectivo proporcionar alojamento temporário ou permanente, bem como serviços adequados à condição física, psicológica e social dos idosos, garantir-lhes uma vida confortável e um ambiente calmo e humanizado, criando condições que permitam preservar e incentivar a relação com a família.
Este serviço destina-se a pessoas de 65 ou mais anos.

Serviço de Apoio Domiciliário:
Resposta social, desenvolvida a partir de um equipamento, que consiste na prestação de cuidados individualizados e personalizados, no domicílio, a pessoas idosas que não possam segurar a satisfação das necessidades básicas e actividades do quotidiano.
Basicamente, contribui para a melhoria da qualidade de vida dos idosos, garantindo a prestação de cuidados de ordem física e apoio psicológico, apoiando-os na satisfação as necessidades básicas e outras actividades quotidianas e assegurando o acesso a prestação de cuidados de saúde. Por outro lado contribui para retardar o processo de institucionalização e prevenir situações de dependência, proporcionando uma certa autonomia.